Como controlar o colesterol LDL alto? - Laboratório Verner Willrich

Por: - Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380
Publicado em 06/03/2019

Como controlar o colesterol LDL alto?

Como controlar o colesterol LDL alto?

Sabia que o colesterol LDL alto é um problema que pode ser controlado apenas com acompanhamento regular a partir de exames laboratoriais, alimentação balanceada e exercícios físicos?

 

É isso mesmo: dependendo de cada caso, é possível reverter o quadro de colesterol alto apenas com a mudança do estilo de vida e obtendo mais controle da manutenção da saúde.

 

Ou seja, quem realiza consultas regulares com um médico de confiança e, consequentemente, realiza check-ups periódicos para acompanhar a saúde de perto, sem dúvidas, pode identificar as altas taxas de colesterol antes mesmo que o problema traga riscos mais severos para o organismo.

 

Quer saber mais sobre como controlar o colesterol LDL de maneira natural? Continue lendo o artigo:

Colesterol LDL alto: quando prejudica a saúde?

O colesterol LDL é considerado o tipo de colesterol ruim. Ele é conhecido assim porque é um lipídio que se acumula nas paredes das artérias, formando placas que causam a obstrução dos vasos sanguíneos e, por consequência, desencadeia o que chamamos de aterosclerose.

Esse depósito de gordura age como uma espécie de inflamação que estreita e enrijece as artérias. O problema maior é que a longo prazo, isso pode restringir completamente o fluxo sanguíneo na região, podendo levar a inúmeras doenças cardiovasculares, como infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e representa, até mesmo, um risco de vida.

 

Por outro lado, a boa notícia é que quando as taxas de colesterol alto são identificadas precocemente, é possível fazer um controle do problema. E como identificar os índices de colesterol LDL?

 

Exame de sangue para verificar as taxas de colesterol ruim

A única maneira de saber se o colesterol LDL está alto é por meio do exame de sangue. Assim, será possível identificar se os níveis do colesterol estão fazendo mal à sua saúde. Vale destacar que não existe um índice de saúde universal para os níveis de colesterol, já que a análise do resultado está relacionado ao histórico de vida e clínico do paciente. Confira o que os valores indicam em cada situação:

130 mg/dl

A concentração do colesterol LDL menor que 130 mg/dl (miligramas por decilitro de sangue) ainda é aceitável, dependendo da situação. Ou seja, pessoas jovens e saudáveis, sem nenhuma doença e sem indicativos de hipertensão.

100 mg/dl

Os níveis equilibrados de colesterol LDL devem estar abaixo de 100 mg/dl, para que não representem nenhum perigo para a saúde. Esse é o valor mais aceitável para pessoas que possuem pelo menos um fator de risco para o colesterol alto.

70 mg/dl

No caso de pessoas com histórico de doenças no coração e, consequentemente, que apresentam alto risco de doenças cardiovasculares, esse valor deve ser menor que 70 mg/dl.

 

Além disso, pessoas que apresentem mais de dois fatores de risco ou histórico de aneurisma de aorta abdominal, diabetes e doença renal crônica também devem manter esse valor.

50 mg/dl

Caso o risco cardiovascular seja ainda mais alto, o ideal é que os índices não passem de 50 mg/dl. Isso inclui pessoas com qualquer tipo de obstrução arterial, como aterosclerose, ou apresente quadro de doenças como infarto, angina e acidente vascular cerebral (AVC).

Sinal de alerta

O sinal de alerta para a possibilidade de desenvolver uma doença cardiovascular surge quando o nível do colesterol LDL é superior a 160 mg/dl. Nesses casos, as pessoas dificilmente conseguem diminuir o colesterol LDL alto sem medicação.

 

No entanto, quando o colesterol ainda se encontra em níveis baixos, é possível controlá-lo apenas com a prática de exercícios físicos e observando os fatores de risco, como:

  • sobrepeso e obesidade;
  • sedentarismo;
  • consumo exagerado de bebida alcoólica;
  • estresse;
  • controle da hipertensão e diabetes.

Além disso, a mudança alimentar altera significativamente o quadro de colesterol alto. Confira alguns alimentos que podem fazer a diferença nessas taxas acima do normal:

6 alimentos que colaboram com a redução do colesterol LDL

Cuidar da alimentação é uma das melhores formas de evitar que o nível de colesterol LDL seja superior a 100 mg/dl. Isso porque os alimentos que mais ajudam a manter a concentração dentro dos padrões recomendados são:

  1. Azeite de oliva e óleo de canola

O azeite de oliva e óleo de canola ajudam a manter o nível do colesterol HDL, considerado o bom colesterol, dentro das taxas recomendadas. Esse benefício decorre da sua ação oxidante que impede a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos. O óleo de canola é indicado para fazer frituras, enquanto o consumo do azeite de oliva é melhor sem ser exposto ao calor excessivo.

2. Chocolate amargo

Olha que boa notícia: evitar que o colesterol LDL fique alto é um motivo nobre para comer chocolate amargo! O alimento contém flavonoides, uma substância antioxidante que também protege o coração. Mas lembre-se: coma com moderação!

3.Aveia

A aveia, assim como os demais alimentos ricos em fibra, também colabora para o controle do colesterol LDL. Esse tipo de alimento fornece auxílio especial por contribuir com a fermentação e digestão de gorduras no intestino grosso, o que contribui com a absorção de gorduras, além de impactar no controle do diabetes, da hipertensão e da obesidade.

4.Laranja

A fruta também contém propriedades antioxidantes que colaboram para que o colesterol permaneça em equilíbrio. Uma pesquisa, desenvolvida pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), demonstrou que o consumo regular de suco de laranja contribui com a redução do colesterol e sugere que “a associação dos flavonoides cítricos com a vitamina C previne o estresse oxidativo e o desenvolvimento da aterosclerose”.

5.Peixes

O ômega 3 presente nos peixes de águas profundas atua na redução do colesterol total e eleva o nível do colesterol HDL. Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) identificaram que uma dieta diária de 1200 kcal de ômega 3 contribuiu com a diminuição de peso, colesterol total, colesterol LDL e triglicerídeos. Por isso, aposte nos peixes, linhaça, canola, brócolis, chia e oleaginosas em geral.

6.Castanhas, nozes e amêndoas

As castanhas são fontes de minerais, vitaminas, fibras e gorduras saudáveis essenciais para a diminuição do colesterol LDL e pelo aumento do colesterol HDL. Seus benefícios provêm dos componentes bioativos ricos em substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias. É bom destacar que, por serem fontes de gordura, seu consumo deve ser moderado.

 

Acompanhamento regular especializado

Para agregar aos esforços da dieta balanceada, é importante praticar exercícios físicos regularmente e realizar um check-up periódico com um profissional da saúde.

 

Visite seu médico ou nutricionista regularmente, porque apenas ele poderá  solicitar os testes laboratoriais para cuidar da sua saúde e recomendar nas quantidades adequadas de consumo dos alimentos listados.

 

Qual foi a última vez que você investigou seus níveis de colesterol?

Realize seus exames no LabVW, entre em contato para agendar o seu horário ou solicitar uma coleta domiciliar.

Material escrito por:
Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380

Adriana Helena Sedrez é farmacêutica bioquímica especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR. Na LabVW, Adriana coordena o setor de Hematologia Clínica, é gerente de Recursos Humanos e responsável pelo Atendimento ao Cliente.