Previna-se contra o que causa infarto - Laboratório Verner Willrich

09.10.2018 | por

Previna-se contra o que causa infarto

Previna-se contra o que causa infarto

Você sabe o que causa infarto? Pois essa é uma questão muito importante para garantir a sua saúde cardíaca e de toda a sua família. Alguns hábitos podem ser decisivos para prevenir um infarto fulminante e consequentemente nos garantir maior qualidade de vida.

Além disso, quanto maior for o tempo entre a percepção dos sintomas e o atendimento médico, maior as chances de mortalidade ou sequelas. Por isso, que tal se informar mais sobre o assunto?

O que causa infarto: você sabe?

O infarto é ocasionado quando parte do músculo cardíaco se danifica, por ausência de oxigênio. Como a irrigação sanguínea desse músculo é feito pelas artérias coronárias, caso uma delas se encontrar entupida, o fluxo de sangue será interrompido. Dessa forma, se o fluxo sanguíneo não for restabelecido no momento certo esse tecido morre, levando ao infarto.

Geralmente, homens em meia idade e mulheres na menopausa possuem maior probabilidade de sofrer um infarto. Junto a isso, os principais fatores de risco para o infarto podem ser citados por:

  • colesterol alto;
  • hipertensão;
  • obesidade;
  • estresse;
  • diabetes;
  • histórico de infarto.

Sintomas de um infarto

Os sintomas de um infarto podem ser variados e, muitas vezes, poderão ser identificados como sensações não muito bem definidas. Por isso, caso o indivíduo sinta alguma das características abaixo, é fundamental que procure imediatamente um posto médico se persistir por mais de 20 minutos:

  • dor aguda entre o lábio inferior e o umbigo;
  • dor no meio do peito, que pode irradiar para o braço esquerdo;
  • dor no queixo e dor nas costas, embora sejam mais raras;
  • falta de ar sem dor e queimação ou agulhadas no peito são sintomas muito comuns em mulheres que sofrem um infarto;
  • qualquer um dos sintomas descritos, se for acompanhado de vômito, suor frio, falta de ar, palpitações ou fraqueza intensa também deverá ser considerado.

 

Por isso, recorra à ajuda imediata no surgimento de alguma das sensações descritas acima. É importante lembrar que quanto maior for o tempo até ser atendido, maior o risco de danos irreversíveis de lesões no miocárdio.

Exames para diagnosticar a saúde do coração

Se você está dentro do grupo de risco ou já passou por um infarto, deverá acompanhar a saúde do seu coração por meio de exames indicados pelo cardiologista. Confira os mais comuns:

Exame de CK: Creatino Kinase

Creatino Kinase é uma enzima citoplasmática e mitocondrial que, quando elevada, pode indicar o aumento de chances de infarto agudo no miocárdio. Essa avaliação se dará com maior propriedade caso o exame seja realizado junto ao eletrocardiograma e outros testes laboratoriais indicados pelo médico. Além de infarto no miocárdio, os níveis aumentados de CK ainda podem indicar:

 

  • acidente vascular cerebral (AVC);
  • lesão da musculatura cardíaca ou esquelética;
  • doença muscular cardíaca congênita;
  • hipotireoidismo;
  • doenças infecciosas;
  • embolia pulmonar;
  • hipertermia maligna;
  • convulsões generalizadas;
  • neoplasias de próstata.

 

Por isso, é necessário o acompanhamento de um cardiologista e a realização completa da bateria de exames. Para a identificação acertada da doença e indicação de tratamento.

CK-MB

A CK-MB é uma isoenzima da creatina fosfoquinase (CPK), que diz respeito a uma enzima que é liberada por meio do músculo cardíaco. Por isso, quando há uma elevação da enzima, haverá uma isquemia em regiões específicas do músculo cardíaco.

No caso de infarto no miocárdio, os valores se elevam drasticamente, confirmando a suspeita. Dessa forma, o CK-MB corresponde a um marcador bastante específico para determinar lesões no miocárdio, em relação ao CK total, por isso os dois exames devem ser realizados juntos.

Troponina

A troponina é uma enzima liberada na corrente sanguínea entre 2 e 8 horas após alguma lesão no miocárdio, por isso, o seu exame de detecção pode diagnosticar o infarto agudo do miocárdio. Os cardiologistas indicam o exame de troponina quantitativa, realizada no LabVW, para o diagnóstico desse problema.

Dessa forma, mesmo que o resultado dê um valor negativo nas primeiras 8 horas da surgimento dos primeiros sintomas de um infarto, ainda assim, o infarto não poderá ser excluído da hipótese. Caso ainda haja suspeitas, o exame deverá ser refeito nos respectivos intervalos solicitados pelo médico ou pelo próprio laboratório.

Outros exames importantes

Além desses exames específicos, outros testes poderão avaliar a precisão do diagnóstico de um infarto no miocárdio. São eles:

  • estudos radiográficos;
  • ecocardiografia;
  • ressonância magnética;
  • tomografia por emissão de pósitrons (TEP);
  • cateterismo cardíaco.

Esteja atento a um possível infarto no miocárdio, regularize os seus exames e as consultas com um cardiologista. Ainda em dúvida para escolher o melhor laboratório para realizar seus exames? Leia o e-book de prevenção de exames para toda a família “Check-up familiar: exames e dicas para manter a saúde em dia”.

Falar pelo WhatsApp