Exame de TSH ajuda a detectar o câncer na tireoide? - Laboratório Verner Willrich

23.08.2018 | por

Exame de TSH ajuda a detectar o câncer na tireoide?

Exame de TSH ajuda a detectar o câncer na tireoide?

O exame de tsh é muito importante para avaliar a saúde da tireoide, sendo capaz até mesmo de auxiliar na detecção do câncer. Isso acontece pois quando há manifestação desse tipo de câncer, é possível observar que, em algumas vezes, a produção dos hormônios da tireoide se alteram, assim como o metabolismo do organismo, muito embora essa não seja uma regra. De qualquer maneira, outros exames complementares serão fundamentais para o diagnóstico preciso.

De forma geral, o exame de TSH é utilizado para verificar possíveis problemas na tireoide e pode ser seguido das dosagens de T3 (triidotironina) e T4 (tiroxina). O TSH é o hormônio estimulante da tireoide, produzido pela hipófise, sendo responsável por induzir à tireoide a produzir seus hormônios (T3 e T4), que por sua vez, controlam o metabolismo do corpo.

 

O que o exame de TSH avalia?

Esse exame funciona para a medição dos níveis sanguíneos do hormônio tireoestimulante (TSH), a fim de verificar a atividade da glândula. Dessa forma, se houver um nível de TSH elevado significa que a tireoide não está produzindo hormônios normalmente. A partir de então, o especialista irá averiguar quais outros exames de imagem devem ser realizados para uma análise inicial de um nódulo da tireoide.

Caso não haja histórico familiar ou sintoma de disfunções na tireoide, é importante que o exame comece a ser realizado a partir dos 40 anos. Assim, após esse início, a frequência desse exame será a cada cinco anos para verificar a medição do TSH seguido de um exame clínico para analisar a presença de nódulos no local. Se o paciente tem histórico familiar o indicado é que o monitoramento inicie antes dos 40 anos.

Outros exames importantes para o câncer na tireoide

Por isso, se o exame físico e outros exames estiverem sugerindo um suposto diagnóstico de câncer na tireoide, outras avaliações serão solicitadas, como:

Hormônios da Tireoide (T3 e T4)

Como vimos, o T3 e T4 são os principais hormônios produzidos pela tireoide. Assim, os seus respectivos níveis também podem ser determinados para a verificação do funcionamento da glândulas. Geralmente, esses números aparecem normalizados em caso de câncer de tireoide.

Tireoglobulina

A tireoglobulina é uma proteína produzida pela tireoide. Dessa forma, embora a medição de seu nível sanguíneo não possa ser utilizado para diagnosticar o câncer de tireoide, essa informação é bastante útil após o tratamento.

Por isso, ao tratar o câncer de maneira cirúrgica, a sequência é continuar o tratamento com iodo radioativo para destruir as células que possam ficar remanescentes. Assim, todas essas intervenções diminuem os níveis de tireoglobulina no sangue e se, após esses procedimentos, esses números continuarem altos, haverá um indício de que a doença ainda está ativa.

Calcitonina

A calcitonina é produzida pelas células C da tireoide e se caracteriza como um hormônio que regulariza a maneira como o corpo utiliza o cálcio. Dessa forma, o câncer medular da tireoide se desenvolve justamente nas células C. Por isso, se houver uma suspeita desse tipo de câncer ou se houver casos de histórico familiar da doença, esse exame pode ser solicitado em busca da medição dos níveis de calcitonina.

Antígeno Carcinoembrionário (CEA)

Em casos de pacientes com câncer medular de tireoide, os níveis sanguíneos do antígeno carcinoembrionário (CEA) se apresentam elevados. Por isso, esse exame pode ajudar no diagnóstico desse tipo de câncer.

Para interpretação adequada dos seus exames recorra a um profissional especializado. Somente ele poderá indicar a existência do câncer e qual o tratamento indicado.

Falar pelo WhatsApp