Check-up completo para mulheres: exames que não devem faltar na lista

30.04.2018 | por

Check-up completo para mulheres: veja os exames que não devem faltar na lista

Check-up completo para mulheres: veja os exames que não devem faltar na lista

Desde a ocorrência da primeira menstruação até a terceira idade, todas as mulheres devem fazer um check-up completo periodicamente. Esse cuidado é fundamental para prevenir doenças e, também, para diagnosticar precocemente eventuais patologias, como o câncer de mama, o que aumenta as chances de sucesso no tratamento.

Quais exames não devem faltar em um check-up completo feminino

Mamografia

Trata-se de um exame que deve ser realizado anualmente por mulheres acima dos 40 anos. Se houver indicação clínica, pacientes de alto risco, com histórico de câncer de mama na família, podem começar a realizar exames preventivos mesmo antes dos 35 anos.

Papanicolau

Independentemente do histórico sexual da paciente, o exame deve ser realizado regularmente a partir dos 18 anos, para prevenção do câncer cervical. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2010, devem surgir mais de 18 mil novos casos da doença.

Depois dos 30 anos, a maior frequência de miomas e de outras doenças relacionadas ao útero e aos ovários pode levar o médico ginecologista a solicitar, também, a ultrassonografia transvaginal.

Exame colesterol e triglicerídeos

Principalmente depois dos 40 anos, o exame de sangue para checagem das taxas de colesterol e triglicerídeos devem ser anuais, a fim de contribuir para a prevenção do infarto.

Exame de glicemia em jejum

Trata-se de um importante exame de sangue que deve ser realizado com a paciente em jejum de, pelo menos, oito horas. Ao analisar a taxa de açúcar no sangue, é possível diagnosticar portadoras de diabetes, doença crônica que é muito melhor administrada quanto mais precocemente diagnosticada.

Mulheres com mais de 45 anos, ou antes, com histórico da doença na família, com taxas altas de colesterol e triglicerídeos, obesas, sedentárias e idosas pertencem ao grupo de risco.

Controle da tireoide

Depois dos 30 anos, as mulheres têm três vezes mais chances de desenvolver distúrbios da tireoide, principalmente o hipotireoidismo. Em alguns casos, a paciente começa a notar certa dificuldade em perder peso, queda acentuada de cabelo, enfraquecimento das unhas e maior sonolência.

A doença pode ser diagnosticada por um simples exame de sangue em que são verificadas as dosagens dos hormônios tireoidianos T3, T4 e TSH. Entretanto, quando o médico endocrinologista suspeita da presença de nódulos, poderá sugerir a realização de exames complementares, como ultrassonografia, cintilografia ou mesmo uma biópsia.

Densitometria óssea

Depois dos 50 anos, ou ainda mais cedo, dependendo do histórico familiar, é recomendável realizar o exame de densitometria óssea a cada dois anos para se prevenir da osteoporose, que é uma doença silenciosa e, ainda assim, bastante agressiva para com a terceira idade, quando uma fratura pode comprometer totalmente a qualidade de vida da paciente.

Eletrocardiograma

Para quem não tem histórico familiar, o eletrocardiograma pode começar a fazer parte da bateria de exames anuais a partir dos 50 anos. Dependendo das orientações do médico cardiologista, o eletrocardiograma deverá ser acompanhado dos exames abaixo:

Teste ergométrico

Também chamado de teste de esforço, esse tipo de exame é utilizado como rastreador de alterações do ritmo cardíaco durante o esforço físico, frequentemente associadas à doença arterial coronariana e à angina, uma vez que muitos desses pacientes apresentam resultado normal no eletrocardiograma em repouso.

Ecodopplercardiograma

Trata-se de um ultrassom do coração que permite checar a anatomia do órgão, suas dimensões e a função de inúmeras estruturas cardíacas, assim como o fluxo sanguíneo. Com esse exame, é possível diagnosticar alterações relacionadas à hipertensão arterial, coronariopatias (artérias), miocardiopatias (músculo cardíaco) e disfunções nas válvulas do coração, por exemplo.

Autoexame da pele

O câncer de pele não melanoma é o tipo da doença que mais acomete homens e mulheres no Brasil. O uso diário de protetor solar e o autoexame ainda são os melhores amigos das mulheres. Devem estar sempre atentas à presença de manchas disformes, pintas escuras ou malcheirosas.

Em caso de dúvida, é sempre recomendável consultar um dermatologista. É comum os médicos encaminharem material para biópsia, a fim de fazer um diagnóstico o mais preciso o possível.

Check-up completo por meio de testes sanguíneos

Um check-up sanguíneo completo para mulheres se divide em duas partes, uma básica e outra hormonal. Elas também podem optar pelo check-up sanguíneo de doenças infecciosas.

Check-up básico – anemia e bioquímica

  • Hemograma completo HCG.
  • Colesterol total.
  • Colesterol HDL.
  • Colesterol LDL.
  • Colesterol VLDL.
  • Triglicerídeos.
  • Glicose.
  • Ureia.
  • Creatinina.
  • TGO – AST.
  • TGP – ALT.
  • Gama Glutamil Transferase.
  • Ácido úrico.
  • Hemoglobina glicada.
  • Proteínas totais e frações.
  • Urina rotina.
  • Parasitológico das fezes.

Check-up hormonal

  • T3 total.
  • Cortisol colhido às oito horas – soro.
  • Hormônio Tireoestimulante – TSH.
  • Estradiol – E2.
  • Hormônio Luteinizante – LH.
  • Hormônio Folículo Estimulante –  FSH.
  • T4 livre – T4L.

Check-up módulo infecciosas

  • HIV1 + HIV2.
  • Hepatite B (HBSAG).
  • VDRL – Sorologia para Lues.
  • Hepatite C (ANTI-HCV).
  • Chlamydia Trachomatis.
  • Cultura para micoplasma.
  • Ureaplasma.
  • Neisseria.
Falar pelo WhatsApp