Hipotireoidismo tem cura? - Laboratório Verner Willrich

13.08.2018 | por

Hipotireoidismo tem cura?

Hipotireoidismo tem cura?

Hipotireoidismo tem cura? Essa é uma questão muito recorrida ao receber o diagnóstico da disfunção na tireoide. Caracterizado pela queda na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), o hipotireoidismo é bastante frequente em mulheres. Mas pode acometer qualquer gênero ou idade, até mesmo os recém nascidos.

Afinal, o hipotireoidismo tem cura?

O hipotireoidismo é uma disfunção que não tem cura, pois trata-se de uma doença crônica. No entanto, o tratamento pode ser bastante eficaz. É possível controlar o hipotireoidismo por meio da reposição do hormônio tireoidiano em comprimidos que devem ser ingeridos diariamente.

Como é o tratamento para hipotireoidismo?

O hormônio que regula a doença é produzido em laboratório (levotiroxina). Ele substitui o hormônio T4, produzido naturalmente pela tireoide, em pessoas saudáveis. O hormônio T3 também pode ser reposto, embora seja mais raro de ser recorrido.

 

Na maioria dos casos, é necessário reposição para o resto da vida. A dosagem hormonal será verificada por meio do exame de TSH. Este teste utilizado para detectar detalhadamente as alterações nos níveis do hormônio estimulante da tireoide (TSH).

 

A procura por um endocrinologista é muito importante, assim como o acompanhamento preventivo quando houver casos na família. O médico responsável irá verificar as dosagens e ajustá-las a cada caso e ao longo do tratamento.

 

É fundamental que a reposição hormonal só seja feita segundo as orientações médicas, pois, caso a carga seja elevada, alguns efeitos colaterais podem surgir, como:  

 

  • alterações no funcionamento cardíaco;
  • arritmias cardíacas;
  • perda de massa óssea.

 

No entanto, caso não haja a intervenção hormonal, os sintomas permanecerão e o metabolismo continuará lento.

Complicações possíveis com a demora para o tratamento

É  muito importante que, após o diagnóstico, o tratamento seja iniciado o quanto  antes. A demora pelo auxílio médico pode levar ao enfraquecimento do coração e a consequente diminuição dos batimentos cardíacos. Isso poderá acarretar em falta de ar, inchaço, aumento da pressão arterial e do colesterol. Além disso, quem não trata o hipotireoidismo pode apresentar obesidade, dor nas articulações e infertilidade.

Quais os sintomas do hipotireoidismo?

Para se alinhar ao tratamento o quanto antes, é importante se atentar aos sinais da doença. Embora nos estágios iniciais o hipotireoidismo raramente apresente sintomas, ao longo do tempo, é possível que se evidencie em um quadro já avançado. Por isso a importância de visitar regularmente o médico.  

Os sintomas do hipotireoidismo podem variar de pessoa para pessoa, dependendo da gravidade e deficiência hormonal do organismo. Conheça alguns deles:

  • prisão de ventre;
  • fadiga;
  • sonolência;
  • pele seca;
  • queda de cabelo;
  • ganho de peso inexplicado;
  • retenção de líquido;
  • rouquidão;
  • nível elevado de colesterol no sangue;
  • dor e fraqueza muscular;
  • rigidez ou inchaço nas articulações;
  • períodos menstruais desregulados;
  • frequência cardíaca lenta;
  • depressão;
  • mau humor;
  • memória ruim.

Quais são as causas do hipotireoidismo?

As principais causas da disfunção na tireoide podem ser citadas como:

  • medicamentos antitireoidianos;
  • medicamentos como amiodarona (para problemas cardíacos particulares) e lítio (para transtornos mentais);
  • medicamentos com alto índice de iodo, geralmente para a tosse;
  • mau funcionamento da glândula pituitária;
  • Doença da tireoide ou tireoide de Hashimoto: quando acontece um processo autodestrutivo por meio do sistema imunológico que ataca as células tireoidianas como se fossem estranhas.

Entre em contato, caso haja alguma dúvida. Leia, também, sobre “Problemas hormonais que mais afetam as mulheres” e acompanhe melhor a sua saúde.

Falar pelo WhatsApp