Sintomas de depressão: Como combater? | Laboratório Verner Willrich


Publicado em 23/09/2021 - Atualizado 24/09/2021

Sintomas de depressão: Como combater?

Sintomas de depressão: Como combater?

Os sintomas de depressão não aparecem de uma hora para a outra, por isso, é preciso ficar atento. A primeira coisa a se pontuar é que a depressão é uma doença que, como várias, têm estágios de avanço e de gravidade que variam de pessoa para pessoa. A origem está em um desequilíbrio químico do cérebro que pode ser iniciado ou agravado por fatores do dia a dia ou por eventos traumáticos, mas nem sempre. É preciso ficar atento a uma série de sinais para, então procurar ajuda profissional adequada.

 

Sintomas de depressão mais comuns

 

É comum pensar que tristeza e depressão são sinônimas, mas quem enfrentou ou enfrenta a doença sabe que os sentimentos são diferentes. Qualquer pessoa pode se sentir triste em situações que vão desde problemas no trabalho até a perda de um ente querido. Sentir uma tristeza, até mesmo profunda, nessas horas é esperado e perfeitamente normal. Nesse caso, será um problema se a pessoa não conseguir se recuperar desse sentimento após um tempo. Os sintomas de depressão, por sua vez, envolvem um vazio, uma sensação de impotência e ou de falta de interesse, de vontade. O transtorno pode ou não vir acompanhado do sentimento de tristeza e afeta o funcionamento psicológico, social e de trabalho.

Essa sensação pode ser dividida em algumas mudanças comportamentais que se alternam e não precisam estar todas presentes ao mesmo tempo:

 

  • Desânimo ao ter que lidar com problemas do dia a dia, do trabalho ou de casa;
  • Desinteresse em atividades que antes davam prazer, como tocar instrumentos, realizar alguma atividade física ou consumir filmes, músicas ou livros;
  • Fuga de situações sociais, ou a preferência por ficar sozinho e sem contato com outras pessoas, principalmente quem anteriormente tinha interesse em eventos interpessoais;
  • Lentidão e falta de concentração ao executar atividades comuns, como dirigir ou estudar para uma prova;
  • Dores pontuais ou crônicas no corpo sem explicação, ou ainda irritabilidade e estresse sem motivo aparente;
  • Angústia, sensação de vazio ou melancolia, uma certa tristeza de outra ordem, quase inexplicável e sem motivação clara.

 

É preciso ter cuidado quando a pessoa passa a apresentar sinais de tirar a própria vida. Mesmo que seja em um desabafo ou em tom de brincadeira, qualquer indício de predisposição ao suicídio deve ser levado a sério. Uma pessoa que passa a falar sobre isso provavelmente já está pensando sobre a ponto de ter coragem de tocar no assunto em voz alta. Jamais menospreze esse sinal e, caso alguém próximo caminhe nessa direção, busque um profissional para saber como ajudar a pessoa querida nessa hora.

Atenção para os vícios

 

cigarros

 

Qualquer pessoa pode cair em algum vício. Bebidas, cigarros diversos ou drogas sintéticas têm poder de viciar a qualquer um. Quem apresenta sintomas de depressão, no entanto, está mais suscetível a encontrar nesses vícios uma forma de descontar o sentimento de vazio ou de angústia. Quem acabou viciando tem mais chances de desenvolver depressão. De qualquer forma, além de ter o cuidado de não culpabilizar quem já está duplamente fragilizado pelo vício e pela depressão, também é necessário evitar que alguém com sintomas de depressão comece a se entregar para um desses vícios. Novamente, profissionais podem ajudar.

 

Profissionais e tratamentos para os sintomas de depressão

 

psicóloga

 

Entre os profissionais que conseguem reconhecer e tratar os sintomas de depressão estão psicólogos e psiquiatras. O trabalho conjunto de ambos normalmente é a saída mais comum e que apresenta os resultados mais efetivos. Para tratar uma pessoa com depressão usa-se medicações que ajudam a equilibrar os componentes químicos do cérebro. Nessa hora, um psiquiatra saberá indicar os remédios e as dosagens ideais para cada caso. Em paralelo um psicólogo encontrará o melhor jeito psicológico para tratar eventuais traumas, comportamentos de risco ou ainda questões emocionais não resolvidas.

 Existem vários tipos e níveis de depressão, que é uma doença crônica. Os sintomas de depressão são tratáveis, mas o acompanhamento deve ser feito a longo prazo com profissionais. Terapias alternativas podem ajudar, mas sempre como complemento ao tratamento clínico-psiquiátrico tradicional. Como qualquer doença, se tratar no início te dá chances de se recuperar. Para diminuir as chances de ter depressão, aposte em um estilo de vida saudável, tenha uma alimentação equilibrada e faça exercícios. Mas saiba que mesmo assim os sintomas de depressão podem se manifestar, e que vai estar tudo bem se você procurar ajuda.

[contact-form-7 id="824" title="Newsletter" html_name="Newsletter Blog"]