Hemograma completo: saiba para que serve e como interpretar - LabVW


Publicado em 28/07/2020

Hemograma completo: saiba para que serve e como interpretar

Hemograma completo: saiba para que serve e como interpretar

Hemograma completo é um tipo de exame de sangue muito requisitado por médicos e bastante comum nos laboratórios. Ele é um dado importantíssimo para avaliar a saúde do paciente, e geralmente feito nos check-ups rotineiros. Por conta disso, ele acaba gerando um pouco de confusão às pessoas, sendo frequentemente citado como um sinônimo de todo tipo de exame de sangue.

É nossa missão explicar de maneira correta sobre o que é o hemograma, para que serve e como interpretar as principais informações que estão contidas nele. Portanto, no blog de hoje, você vai conhecer de forma mais aprofundada sobre esse tipo de exame. Vem com a gente:

O que é um hemograma?

O hemograma é um exame de sangue que rastreia as três principais e fundamentais linhagens de células do sangue, que são as hemácias, leucócitos e plaquetas. Muitas pessoas costumam categorizar esse exame em “hemograma” e “hemograma completo”, como se o segundo avaliasse de forma mais minuciosa o sangue do paciente. Mas esse termo é redundante, pois um hemograma já é um exame completo. Caso o seu médico queira avaliar apenas as plaquetas do seu sangue, solicitaria um plaquetograma – e por aí vai. Portanto, não há essa distinção de termos.

Como funcionam os exames de sangue

O que acontece em um exame de sangue é que o médico precisa indicar o que ele quer descobrir. Isso porque os exames de sangue não são como detectores de problemas gerais do sangue; os médicos precisam detalhar para o laboratório o que pretende que seja analisado na coleta.

No sangue, existem diversas substâncias que podem ser pesquisadas e analisadas, como proteínas, anticorpos, células, eletrólitos, colesterol, hormônios, drogas e até bactérias ou vírus (caso a pessoa esteja com infecção). No entanto, o hemograma irá focar nas três categorias que mencionamos: hemácias, leucócitos e plaquetas.

Qual é a função do hemograma?

O hemograma tem a função de ajudar a diagnosticar doenças e também de acompanhar a evolução daquelas que provocam alterações no sangue, como: infecções bacterianas, fúngicas ou virais; inflamações; anemia; plaquetose (aumento no número de plaquetas); plaquetopenia (diminuição de plaquetas); leucemias e linfomas; distúrbios na medula óssea; etc.

Como interpretar o hemograma

Na hora de interpretar o hemograma, o médico sempre verifica os valores que mostram no seu exame e os compara com os valores de referência. Dessa forma, ele consegue saber se a quantidade de células está em número alto ou baixo. Porém, ele também precisa levar em consideração os sintomas que você está sentindo (ou a falta deles) para ter um diagnóstico mais preciso e completo. E, claro, a possível necessidade de realizar outros exames mais avançados.

Hemáceas

A parte do hemograma que analisa as hemáceas é o eritrograma. Mas além de verificar a quantidade de glóbulos vermelhos do paciente, um hemograma também deve analisar as características morfológicas das células, como tamanho das hemácias e concentração da hemoglobina, que também podem indicar doenças.

Leucócitos

O leucograma, dentro do hemograma, avalia os glóbulos brancos. Ele ajuda a verificar a imunidade do paciente e também como o corpo reage a diferentes situações, como infecções e inflamações. Quando a concentração de leucócitos está muito acima do valor de referência, a situação é chamada de leucocitose. Já quando os valores estão muito abaixo, ocorre o inverso, que é a leucopenia.

Plaquetas

Na parte do plaquetograma, as plaquetas são analisadas. Elas correspondem a fragmentos de células que são bastante importantes para o organismo, pois são responsáveis pelo início do processo de coagulação. O valor normal do exame precisa estar entre 150.000 a 450.000/ mm³ de sangue. Quando este número está elevado, as plaquetas podem causar coágulos e trombos sanguíneos, havendo risco de trombose e embolia pulmonar. E quando estão em números menores, podem aumentar o risco de sangramentos.

Mas mesmo que você possa ver o número de referência e ter um conhecimento prévio sobre interpretação de exames laboratoriais, é sempre essencial você mostrar para o seu médico o resultado, pois ele terá uma leitura muito mais clínica e precisa da sua situação, te encaminhando para um diagnóstico mais assertivo.

Este foi o nosso artigo sobre o hemograma completo. Fique de olho em nosso blog para mais conteúdos como este. Até a próxima!

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.