Doenças respiratórias crônicas: como identificar e prevenir - Laboratório Verner Willrich


Publicado em 27/05/2020

Doenças respiratórias crônicas: como identificar e prevenir

Doenças respiratórias crônicas: como identificar e prevenir

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são responsáveis por cerca de 63% das mortes no mundo inteiro, e no Brasil esse número aumenta para 74% dos óbitos. Entre elas, estão: doenças cardiovasculares, respiratórias (bronquite, asma, rinite), hipertensão, câncer, diabetes e doenças metabólicas (obesidade, diabetes, dislipidemia).

No artigo de hoje, iremos focar nas doenças respiratórias crônicas, em como você pode identificá-las e também se prevenir delas. Vem com a gente:

O que são as doenças crônicas

Doenças crônicas são condições bem sérias. Elas têm uma progressão bastante lenta, de longa duração e, na maioria das vezes, as pessoas acometidas por essas doenças as levam para a vida inteira. Os sintomas podem ser permanentes ou esporádicos – em alguns casos, inclusive, a doença pode se apresentar de maneira silenciosa. No entanto, em todos os casos, as doenças crônicas representam risco de vida ao paciente.

Quais as principais doenças respiratórias crônicas

As doenças respiratórias crônicas geralmente aparecem durante o inverno, embora elas não desapareçam totalmente em climas quentes. Ambientes fechados que não tenham uma boa circulação de ar acaba sendo um fator de risco para algumas pessoas, pois elas podem mais facilmente entrar em contato com elementos potencializadores da doença, que são ácaros, vírus, fungos e bactérias.

As doenças mais conhecidas são rinite, asma, sinusite e bronquite, que atacam as vias nasais e respiratórias das pessoas.

Como identificar essas doenças

A melhor forma de identificar essas doenças é através dos sintomas, embora cada uma tenha suas características e peculiaridades. Mas de forma geral, fique atento às estruturas respiratórias do seu corpo e em como elas se comportam. Desconforto nos seios da face, dor de cabeça, excesso de espirros, coriza, tosse, dor de ouvido, garganta inflamada… é difícil categorizar os sintomas, pois são vários. Por isso, a melhor coisa a se fazer, caso você tenha algum deles, é procurar por um médico. Um clínico geral pode fazer o diagnóstico, mas o especialista, que é o otorrinolaringologista, poderá te auxiliar de maneira mais assertiva.

Maneiras simples de prevenção

Agora com a chegada do outono e aproximação do inverno, o clima frio vem trazendo hábitos muito comuns entre as pessoas que podem causar doenças respiratórias. É muito importante que você tome iniciativas para prevenir essas doenças. Veja algumas que preparamos para você:

  • Abra as janelas dos ambientes para aumentar a circulação de ar;
  • Tenha uma alimentação saudável e balanceada;
  • Coloque umidificadores de ar na sua casa para combater o clima seco do ambiente;
  • Crie o hábito de beber água regularmente (cerca de 2 litros por dia);
  • Respire ar puro: fique longe de fumaça de cigarro e locais com alto índice de poluição;
  • Lave suas mãos com frequência, utilizando água e sabonete;
  • Passe álcool em gel nas suas mãos enquanto estiver fora de casa;
  • Troque a roupa de cama semanalmente para evitar a proliferação de ácaros;
  • Respire sempre pelo nariz, pois as narinas filtram e aquecem o ar;

Essas foram as principais informações que você precisa saber sobre como identificar e prevenir as doenças respiratórias crônicas. Mas lembre-se: se você tiver os sintomas descritos em nosso texto, procure um médico. Cuide-se muito bem e leve a informação também para quem precisa. Até a próxima!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.