Sangramento nas fezes: o que pode ser? - Laboratório Verner Willrich

Por: - Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380
Publicado em 03/08/2018 - Atualizado 04/04/2019

Sangramento nas fezes: o que pode ser?

Sangramento nas fezes: o que pode ser?

O sangramento nas fezes pode ser uma condição decorrente de vários problemas. Por isso, a pesquisa de sangue oculto nas fezes pode ser realizada por meio do exame laboratorial que visa encontrar o sangramento, embora o procedimento não determine a causa do problema e nem a decorrência do local específico.

Da mesma forma, é importante ressaltar que, em alguns casos, o sangue nas fezes não se mostrará visível à olho nu, sendo especificamente determinado apenas no exame laboratorial. Dessa maneira, é fundamental procurar ajuda médica para que o diagnóstico correto seja feito.

Quais são as causas de sangramento nas fezes?

Quando o sangramento nas fezes apresenta coloração avermelhada viva, é possível que sua origem venha das regiões baixas do sistema digestivo, como reto, ânus e intestino grosso. Assim, o problema poderá se relacionar a:

  • prisão de ventre;
  • hemorróidas;
  • fissuras anais;
  • lesões causadas por algum trauma na região;
  • hérnia inguinal direta;
  • pólipos;
  • vermes;
  • diverticulites;
  • tumores;
  • doenças inflamatórias intestinais, como colite, doença de Crohn e retocolite ulcerativa.

Fezes de coloração escura

Já as fezes de coloração mais escura podem sinalizar uma hemorragia no trato digestivo ou identificar um sangramento em uma parte profunda do reto. Assim, é possível que isso aconteça no trato digestivo superior (esôfago, estômago, duodeno) e inferior (cólon, reto e ânus).

Da mesma forma, quando o sangramento intenso ocorrer na parte superior, as fezes apresentam uma coloração escura e cheiro forte característico (melena). Outra condição da melena se relaciona a outras doenças no intestino delgado e na parte inicial do intestino grosso.

Por quê o exame laboratorial é importante para detectar o sangramento nas fezes?

O exame laboratorial é fundamental pois detecta frações mínimas de sangue nas fezes. Por isso,  o procedimento é capaz de encontrar a presença de sangue quando estiverem muito difíceis de visualizar a olho nu. O diagnóstico precoce de pólipos intestinais, por exemplo, é bastante eficaz já que o problema ainda não apresenta sintomas em sua fase inicial.

No entanto, o teste não determina a causa do problema e nem o local de sangramento. Por isso é tão importante o acompanhamento médico de cada caso que irá determinar o diagnóstico. Entretanto, embora esse exame seja considerado um dos mais úteis para detectar os pólipos, é importante ressaltar que o resultado positivo não significa que o paciente está com câncer, necessariamente. Assim, outros exames mais completos facilitarão o diagnóstico, como a colonoscopia.

Como o exame é feito?

As amostras de fezes são coletadas pelo próprio paciente em coletores descartáveis. As amostras fecais devem ser coletadas imediatamente após a eliminação.

Esse exame consiste em um método simples, de baixo custo e não invasivo. No entanto, alguns fatores podem alterar o resultado do exame laboratorial:

  • sangramento de gengiva;
  • sangramento nasal;
  • período menstrual;
  • alimentação muito rica em carnes;
  • uso de aspirinas e vitamina C.

Contudo, se o exame é acompanhado pelo método imunológico (imunocromatográfico) não há interferência nos resultados. Nesse caso, o teste imunológico é capaz de detectar apenas a presença de sangue humano, dispensando a necessidade de dietas.

Precisa realizar um exame de fezes? Entre em contato e agende o procedimento.

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

    Material escrito por:
    Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380

    Adriana Helena Sedrez é farmacêutica bioquímica especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR. Na LabVW, Adriana coordena o setor de Hematologia Clínica, é gerente de Recursos Humanos e responsável pelo Atendimento ao Cliente.