5 exames para o fígado e o que eles detectam

Por: - Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380
Publicado em 19/06/2019

5 exames para o fígado e o que eles detectam

5 exames para o fígado e o que eles detectam

As doenças no fígado podem acometer qualquer pessoa e, com frequência, são silenciosas. Sem sintomas aparentes, às vezes deixamos de lado o cuidado com o órgão e só lembramos dele quando já estamos com dores. Por esse motivo, é importante realizar exames laboratoriais periodicamente, segundo recomendação médica, para avaliar a presença ou não de doenças no fígado.

Conheça as doenças mais comuns que afetam o órgão e os exames que são indicados para avaliar seu estado de funcionamento.

Ouça este conteúdo:

Principais doenças que acometem o fígado

É muito comum associar o gosto amargo na boca com doenças no fígado – embora essa queixa não seja específica do órgão, pois pode estar associada com outras causas como gastrite, lesões no dente e gengiva, infecções na faringe, jejum prolongado e uso de cigarro. No entanto, a ocorrência frequente de amargores no paladar faz com que muitas pessoas procurem um médico.

Vale ressaltar que, mesmo sem gostos amargos ou qualquer outro sintoma, deve-se realizar exames preventivos, que podem detectar a presença de doenças no fígado. Entre as ocorrências mais comuns que acometem o órgão, destacam-se:

  • Esteatose hepática –  acúmulo de gordura nas células do fígado;
  • Hepatite por vírus (A, B, C, D e E) – doenças infecciosas;
  • Doença hepática alcoólica – causado pelo consumo excessivo de álcool;
  • Esquistossomose – doença causada pela bactéria Schistosoma mansoni;
  • Hepatite autoimune e medicamentosa.

Outras doenças do fígado não tão comuns estão associadas ao acúmulo de ferro (hemocromatose), cobre (Doença de Wilson) e doenças das vias biliares intra-hepáticas (colangite esclerosante, cirrose biliar primária e colangite autoimune).

Apesar do significativo número de doenças no fígado, é possível detectar muitas delas com procedimentos simples, como as análises clínicas laboratoriais. Assim, é preciso estar sempre com todos os exames em dia, além de marcar consultas com especialistas sempre que necessário.

5 exames simples que detectam doenças no fígado

  1. Hemograma: o hemograma mede os níveis de células no sangue, incluindo os glóbulos vermelhos, brancos e as plaquetas. Assim, quando há presença de infecções, nota-se um aumento no número de leucócitos. Já em casos de alergia, há um aumento de eosinófilos. Portanto, é possível perceber algumas alterações, bem como qualquer incoerência com o resultado do exame pode ser um sinal de doença no fígado. Contudo, a interpretação correta do hemograma deve ser feita por um médico, que irá levar em consideração os resultados do exame e os sintomas do paciente.
  1. Exame de função hepática: é um dos principais exames para detectar câncer de fígado. Com ele, é possível medir o nível de certas substâncias no sangue, que estão presentes na circulação sanguínea e mostram o funcionamento do fígado.
  1. Exame de coagulação do sangue: o fígado é responsável pela produção de proteínas que coagulam o sangue. Se o paciente mostrar problemas com a coagulação, pode ser alguma falha relacionada ao órgão.
  1. Exame de hepatite viral: consiste em um exame de sangue que avalia a presença de hepatite B e C.
  1. Exame de ureia e creatinina: também usados para avaliar as condições dos rins, os níveis de ureia e creatinina podem mostrar alterações no fígado, que são resultantes de doenças ou inflamações.

check-up completo também é um bom aliado na hora de detectar possíveis enfermidades no fígado, bem como de outras doenças. A melhor forma de tratar doenças no fígado é por meio da prevenção – que além dos exames, inclui uma alimentação saudável e não abusar de bebidas alcoólicas.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Material escrito por:
Farmacêutica Bioquímica - CRF-SC 3380

Adriana Helena Sedrez é farmacêutica bioquímica especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR. Na LabVW, Adriana coordena o setor de Hematologia Clínica, é gerente de Recursos Humanos e responsável pelo Atendimento ao Cliente.